Autoconhecimento ferramenta de boas escolhas

Charming young woman with dreadlocks doing twine on the floor near the mirror

   O autoconhecimento significa mais poder pessoal. Você pode usar mais eficazmente um computador quando você sabe mais sobre ele, e da mesma forma, você pode mais eficazmente usar sua própria inteligência, mente e corpo quando você entendê-los melhor. Você fará melhores escolhas em sua carreira profissional quanto maior for o conhecimento que você tiver de si mesmo.

Comportamento automático

Há, no entanto, um grande obstáculo para aprender mais sobre nós mesmos. É a nossa tendência para racionalizar, como demonstrado ao extremo na seguinte história verídica.
Ao João, enquanto hipnotizado por seu terapeuta, foi dada a instrução para, que depois que voltasse ao estado normal, se levantar e colocar o casaco sempre que o médico tocasse o nariz. Uma vez fora do transe, ele e o médico conversaram. Durante a conversa, o médico coçou o nariz, e João imediatamente levantou-se e vestiu o casaco. O médico perguntou por quê. João disse: “Oh, eu pensei que tínhamos acabado”, e ele tirou o casaco. Poucos minutos depois, o médico tocou o nariz de novo, e João imediatamente levantou-se e vestiu o casaco. “Está ficando frio aqui”, explicou. Na terceira vez que o médico repetiu o gesto, ficou mais difícil para João explicar seu comportamento, mas ele ainda tentou.
Agora, esse comportamento automático é sempre resultado da hipnose? Acho que não. Na maioria das vezes, acreditamos que temos clareza de todas as razões que determinaram nossas ações e decisões. Como o pobre João, nos sentimos compelidos a nos explicar, e a acreditar em nossas próprias explicações. Claro, isso não é auto conhecimento, mas autoexplicação ou racionalização, e é um dos mais fortes hábitos humanos.

Autoconhecimento versus Autoexplicação

Quando uma criança joga um objeto em seu irmão e sua mãe pergunta “Por que você fez isso?” Geralmente a criança responde: “Eu não sei”, o que é verdade, mas totalmente inaceitável. Com cinco segundos para dar uma resposta, os melhores psicólogos, com certeza, não poderiam dizer qual a motivação dessa ação da criança, mas com cinco anos de idade, o comportamento é esperado. Embora ele pode não entender, ele aprende rapidamente como se explicar. Com a pressão para se explicar, não é de admirar que na idade adulta, nós raramente dizemos “eu não sei” quando perguntam sobre o nosso comportamento. Em vez disso, basta criar uma explicação. Este é um problema se quisermos conhecer nosso verdadeiro eu? Como aprendermos as verdadeiras causas de nosso comportamento se já temos nossas explicações?

Para aumentar o autoconhecimento

Eu não sei se a melhor abordagem é dizer “Eu não sei.”, Creio que é melhor utilizar “Talvez seja por causa de …” e deixar as explicações fluirem, mas não seja muito rápido em aceitar qualquer uma delas. Nem sempre é necessário explicar. Por exemplo, suponha que você está evitando uma determinada pessoa. Se você não sabe por que a está evitando, não seria melhor deixar a questão em aberto do que aceitar uma falsa explicação baseada em um hábito de auto-justificação e racionalização? Quando você deixa perguntas sem respostas, você pode, um dia, ter uma melhor compreensão. A resposta rápida significa apenas uma parada rápida em seu pensamento, e menos auto-conhecimento. Porque não basta dizer: “Eu não sei.” Não é melhor  aprender a aceitar a sua ignorância, e intensificar a observação de si mesmo? Não deixe que a auto-explicação fique no caminho do autoconhecimento.

Yara Prates

10 ideias sobre “Autoconhecimento ferramenta de boas escolhas

  1. Muito bom o artigo.
    A verdade é que passamos a maior parte de nossas vidas nos justificando, evitando o auto enfrentamento. Buscamos respostas externas, criamos a ilusão de termos as respostas para tudo, a solução miojo. Nós simplesmente não sabemos quem somos, o que queremos, e para onde iremos. Esquecemos nossa verdadeira essência, e como João, vivemos hipnotizados pelo sistema para sermos apenas uma cópia…

    • Aprendi com Alicia Fernandes que é o olhar do outro que nos “conforma”. Aceitamos essa “conformação” sem questionamento e vamos pela vida a fora arrastando correntes. O autoconhecimento e a chave para nos libertar!

  2. Nossa, excelente material! Estamos no automático, preocupados em nos explicar sem refletir sobre a ação, preocupados em acertar sempre. Pelo menos eu. rsrs Magnífica reflexão que levarei comigo. Obg. pela sua contribuição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *